Conheça os benefícios do treino para a saúde mental
Raquel Antunes
Personal Trainer
Na semana onde comemoramos o Dia Mundial da Saúde Mental trago-lhe alguns benefícios que o exercício físico poderá trazer dentro deste tipo de doenças. Como sabemos, o exercício físico tem um impacto positivo para a prevenção e recuperação de possíveis problemas de saúde e doenças, trazendo benefícios cardiorespiratórios, ósseos (densidade mineral óssea), recuperação de lesões, […]

Na semana onde comemoramos o Dia Mundial da Saúde Mental trago-lhe alguns benefícios que o exercício físico poderá trazer dentro deste tipo de doenças.

Como sabemos, o exercício físico tem um impacto positivo para a prevenção e recuperação de possíveis problemas de saúde e doenças, trazendo benefícios cardiorespiratórios, ósseos (densidade mineral óssea), recuperação de lesões, entre vários outros. É, portanto, evidente que entre os benefícios  mais conhecidos e mencionados são geralmente aqueles que acometem a parte física, mas hoje, trago-lhe um novo olhar sobre a influência positiva que o treino poderá ter no foro mental e emocional enquanto ‘terapia’ complementar.

É indiscutível que o apoio profissional – e em casos que assim exijam – farmacológico, é fundamental para o tratamento de doenças mentais como a depressão. No entanto, é também cada vez mais evidente que o exercício físico regular pode, em alguns casos, ser altamente benéfico, trazendo ao seu praticante uma maior e melhor sensação de bem-estar, melhor humor, mais auto-estima e redução da ansiedade, tensão e depressão. (Costa et al., 2005)

Entre outros fatores, a serotonina, dopamina (neurotransmissores) e as endorfinas (hormonas) podem também explicar o efeito antidepressivo e prazeroso do exercício físico,  uma vez que durante e após a sua prática os níveis destas hormonas e neurotransmissores tendem a aumentar, embora em quantidades diferentes para cada pessoa.

Estudos sugerem que intensidades moderadas ou selecionadas pelo praticante (de acordo com os seus níveis de energia e disposição) são as ideais para que haja uma maior adesão e aderência ao exercício físico, sendo assim possível tirar partido dos benefícios que o movimento tem para oferecer ao praticante.

Vale ainda ressalvar que até mesmo práticas de 35 minutos, ou menos, são capazes de trazer benefícios a nível afetivo. (Vorkapic. 2016. “Neurociência do Exercício, Saúde Mental e Aprendizagem”. Caminhos da Educação Matemática em Revista/Online 4, no.2)

Em suma, vale sempre a pena dar uma oportunidade ao exercício físico, seja ele na forma de caminhadas, jogging, musculação, ou outras, e aproveito este pequeno artigo para lhe lançar o desafio: incentive os seus amigos e/ou familiares a praticar desporto, apostar naquilo que nos traz saúde e bem-estar será sempre a melhor aposta!


Aposte na sua saúde